Lixo nas praias

Lixo nas praias

Danos à biota marinha, aumento de despesas municipais com limpezas
periódicas e dispersão de doenças através da proliferação de roedores e insetos, estão entre as principais consequências vindas por conta da quantidade de lixo espalhada pelas praias.

Segundo dados da Sanepar, que é a responsável pela coleta de lixo durante a temporada, no verão de 2018 aqui no paraná, foi recolhido um total de 760 toneladas de lixo. Esse valor é o suficiente para encher 59 mil caminhões de coleta de lixo padrão de Curitiba (capacidade total de 12,9  toneladas).  Esse número é resultado dos dados recolhidos durante o balanço da Operação Verão.

Lixo encontrado na areia. Promove Litoral

De acordo com Camila Domit, coordenadora do Centro de Estudos do Mar da Universidade Federal do Paraná (CEM-UFPR), é importante que as pessoas diminuam a quantidade de resíduos, e encontrem uma forma de destinar seu lixo corretamente. “A ingestão destes resíduos por animais marinhos é a principal causa das mortes de tartarugas, aves, golfinhos. Temos registro de óbito por lesões causadas pela ingestão. Mas outra questão é que, quando o animal não morre por ter ingerido, ele acaba com a sensação de estar saciado, para de se alimentar e pode morrer por inanição” explicou.

Exemplar de uma das diversas lixeiras disponíveis pela orla. Promove Litoral.

Ações de conscientização e informação sobre o tema, de forma a manter o público bem informado podem efetivamente ajudar a manter os oceanos e as praias limpas.

Além das diversas lixeiras instaladas pela prefeitura ao longo da orla, uma das formas de conscientização aplicadas no nosso litoral consiste na presença de diversas placas indicativas e lembretes, grande parte delas feitas pelos próprios moradores e estudantes da região, de que o lixo é no lixo.

O envolvimento compartilhado de todos os setores do litoral (poder público, educação, indústria de diversos setores, varejo e a população de forma geral), objetivando a preservação dos oceanos e do meio ambiente pode efetivamente reduzir a quantidade de lixo produzida, não somente durante o verão mas também nas outras épocas do ano.